5 de mai de 2016

Chega mais perto que a gente divide o café e os sentimentos.


Ei, senta aí, Isso, fica a vontade. Quer um café? Olha que eu não costumo dividir o meu. Como tá indo a vida? Ouvi dizer que ela tá te cobrando horrores, né? Ouvi falar que cê tá se maltratando mais do que o normal.

Mas e aí, quais os planos pro futuro? Que futuro? Ah, o de amanhã ou o de cinco minutos, não se preocupe tanto com cinco anos daqui pra frente. A gente só tem uma chance de viver o que está acontecendo, e é agora.

Se olhar mais uma vez pro celular vou guardar ele comigo, desliga um pouco! Desliga do relógio, desliga do mundo, das pessoas. Para de esperar por aquela chance incerta. Se joga na vida e se desprende desse nó invisível que insiste em apertar quando você está quase o desfazendo.

Deixa eu te dar um abraço, ein? Me conta sobre o que tá te deixando bem longe e com essa expressão de quem se deixou cair no caminho...

Escuta tudo que eu tiver que te dizer, e me perdoa se eu não souber bem ao certo, admito que eu também estou nessa fase louca. Não quero nem imaginar quando estiver prestes a enfrentar o Big Boss. Será que a gente aguenta o tranco?

Acho que deve aguentar, porque quando o nerd louco chamado programador criou esse jogo ele fez uma chance de vencer. A gente não vai desperdiçar o esforço dele em frente a um computador, vai?

Dá um tempinho e assiste um filme comigo, se não tu vais morrer de estresse. Se acalma, respira, sente o que tem que sentir e depois eu te libero para cumprir tuas obrigações. O que eu não posso é te deixar ir para casa com o coração pesado, e com esse rostinho do jeito que estava quando eu te pedi para sentar comigo e tomar um café.

É que a minha meta do dia era justamente tirar um peso. Se não fosse de mim, que fosse de ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário