11 de abr de 2016

Sobre a falta que você não faz (não mais)

Sabe, achei sinceramente que na primeira oportunidade que eu tivesse de ter-te de volta, de ter o nós que tínhamos de novo, correria sem hesitar direto pro teu abraço.

Achei de verdade que a falta que tu me fizeste era permanente e que eu não conseguiria nunca te superar. Em hipótese alguma.

Mas eu superei. E não, eu não sinto falta de nada que deixei pra trás nos últimos três meses. Não digo que foi fácil, não quero em momento algum desmerecer as partes super importantes na minha vida, mas etapas foram superadas e eu cresci. Me desprendi de algumas coisas. Fui obrigada a romper laços que imaginei serem indestrutíveis, mas no fim, só pude provar uma frase que vivo repetindo: nada, absolutamente nada, dura pra sempre.

E eu sou muito mais forte do que imaginei. Eu não me dei o devido crédito que merecia, andei me colocando pra baixo demais, só que em algum momento tive um estalo: a culpa não é minha.

Não é culpa minha a troca idiota que fizeste. Não é culpa minha você não lidar com os próprios problemas e achar que eu também não lidaria. Não é culpa minha que não tenha dado certo. Não é culpa minha, e mesmo que fosse, não há mais o que fazer do que já foi feito.

E foi. Ficou no passado e me disseram que aconteceria: uma hora a dor ia passar e levaria todo o resto junto. Nem a saudade é eterna. Ainda mais na nossa idade,

Dizem que aos quinze tudo tem uma proporção muito maior do que deveria ter. E talvez eu tenha colocado demais nessa esperança de um retorno, esquecendo-me que livro único nunca terá continuação.

Então não me faz mais falta teu carinho. Não faz mais falta tua amizade louca, intensa e sem sentido, mesmo que a minha faça pra ti, eu não tenho mais nada a ver com essa loucura.

Eu te avisei, e não faz mais sentido continuar me enrolando. Coloca na cabeça que eu não sou ela, e que tudo o que tinha pra fazer por ti eu fiz. Mas não vou fazer mais,

Volta pro amor da tua vida que eu cuido muito bem do meu sozinha, obrigada.

Não me fazem falta tuas promessas, não me faz falta teu perfume, teu abraço apertado nem tua presença carregada. Não me faz falta as rimas e as discussões.

Acabou.

Fez tempestade, fez chuva, fez sangrar, fez cicatrizar, fez marcar, fez arder.

E agora não faz mais nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário