5 de jan de 2015

Por que?


Por que você fez isso comigo? Por que chegou, bagunçou um pouquinho a minha vida e foi desistindo aos poucos?

Por que você ta fazendo isso agora? Me diz o que eu te fiz. Te causei algum mal? Algum dano?

Não esquece que foi você que me encorajou. Me aceitou, me prometeu. Você prometeu! Como pode esquecer tudo que me disse?
Eu me apoiei ei você e do nada você foi soltando minha mão e junto com meu apoio levou meu fôlego e minha força.

Eu te pergunto de novo:
Por que?

Eu te disse que não sou o tipo convencional de garota. Você sabia que eu era dependente.

Você apareceu na hora que eu mais precisava de alguém. E aí foi ficando. Me ajudando, me apoiando, juntando meus caquinhos e me montando aos poucos.

Não bastava corresponder minhas expectativas, você tinha que superá-las.

Não era pra ser um conto de fadas.

De todas as minhas decepções foi você a maior. A que mais doeu. Dói.

Tá percebendo que eu ainda tô correndo atrás?

É porque eu ainda acho que vale a pena.
Mas tá achando o quê? Que eu sou de ferro? Que é fácil mandar você e tudo que eu sinto pro espaço?

Você, mais do que ninguém, deveria saber que não.

Por que se entregou de volta pra mim?

Por que me fez acreditar que dessa vez daria certo, como nunca antes?

Por que me provou que era diferente dos outros?

Pra doer mais?

Pra me quebrar de vez?

Eu sei que você não é assim.

E exatamente por saber disso que eu ainda pergunto:
Por que?

Por que tudo isso?

Por que eu? Por que eu chamei tua atenção?

O que eu fiz pra merecer tudo isso? Todos esses momentos bons pra caramba e agora esse vazio sem explicação?

Pra mim você ainda vale a pena, e por isso eu ainda insisto.

Mas tenha em mente que até eu uma hora canso.

Mesmo que doa uma hora vou largar tua mão também.

Mas antes me diz, por que?

Nenhum comentário:

Postar um comentário