17 de mai de 2014

Encontros e topadas

Foto: Depois dos Quinze


A vida é tão cheia de reviravoltas que tais movimentos andam me deixando meio enjoada e tonta. Acho que talvez eu precise me alimentar um pouco mais, entende? (Onde eu estava mesmo?) E nessas reviravoltas acabamos encontrando pessoas. E coisas. E amores. Encontramos pessoas que nos entendem, que nos admiram, que não gostam da gente, que topam na gente, pedem desculpa e que depois nos deixam com um sorriso bobo pelo pedido de desculpas baixinho e constrangido. Mas há aquelas que esbarram, caem por cima da gente, soltam uma gargalhada gostosa e contagiante e continuam o caminho com a gente. Alguns nem esbarramos fisicamente, mas com esse mundo super conectado alguém tuíta algo, gostamos, curtimos, respondemos, seguimos de volta e já pedimos em casamento. Sem mentira nenhuma, isso acontece. A vida é tão feita de encontros e desencontros que podemos já ter encontrado o amor da nossa vida quando comprávamos um salgado apressados por conta de atrasos, e saímos correndo, sem olhar para os lados, para frente, para lugar algum, nem para nós mesmos. Eu particularmente amo encontros. E confesso que alguns desencontros nos polpam de algumas coisas. E o que já foi, já foi, gente, não tente lembrar de todas as pessoas que você já ignorou e nem se sintam culpados por isto. É normal. Alguns encontros nos fazem explodir de felicidade, outros nos trazem a sensação de que somos bobinhos e idiotas, outros nos trazem de volta a infância, outros nos fazem pensar sobre o futuro. Onde eu quero chegar com tudo isso? Eu realmente não sei. Só estava pensando em encontros e esperando que a gente possa topar ai em qualquer esquina de São Paulo ou de Londres e que você acrescente alguma coisa em mim. Nem que seja um roxo.

A vida é cheia de encontros, e se não é, é melhor você repensar se vale a pena viver. Repensar, reprogramar, concluir.

"Me encontra, ou deixa eu te encontrar, me encontra, ou deixa eu te encontrar" - CBJR

Nenhum comentário:

Postar um comentário