25 de jan de 2017

A metáfora do violão

Às vezes a vida é como ter que cortar as unhas pra poder tocar violão. Muitas vezes, inclusive. É tentar, tentar, e pensar que nunca vai conseguir tocar uma música sequer no violão, e saber que até seus dedos se acostumarem com a pressão das cordas, vai doer.
É ver as pessoas que tocam muito bem e parecer que elas nunca passaram pelo que você está passando enquanto está em fase de aprendizado, mas, ainda assim, é preciso ter a certeza que todas passaram pelas dores, pelas frustrações e pelas falhas de memórias.
Viver – e tocar violão – é exercício de paciência. É arte escondida pelo esforço, é dor boa de sentir, mas só no sentido metafórico.
E tem gente que nunca aprende a tocar violão.
Mas não é mito quando dizem que músicos são atraentes.
Então, se há interesse em quem sabe tocar violão, imagina em quem sabe tocar a vida?
É preciso ouvir, e ser exigente. É preciso se cobrar um pouco, é preciso treino, é preciso paixão. Senão a música não fica boa de ser ouvida.
É preciso despender tempo, pele, alma.
Entender a complexidade existente no instrumento e ainda assim não desistir, mas mesmo com a insistência, paz de espírito e discernimento suficientes para saber que se forçar demais, esfola o dedo e pode sangrar.
E aí a dor demora mais pra passar.
Saber também que arde-pra-caramba e às vezes mais do que algumas horas.
Mas passa.
Viu?
A vida é como tocar violão.
Ouça a música.
Faça a música.





Um comentário:

  1. Tô esperando a reação "[]Perfeito para minha vida" aparecer aí!
    Le, que textos mais simples, belo e profundo, to apaixonada <3

    ResponderExcluir