1 de ago de 2016

Sobre as coisas que não entendo




Sabe, eu não entendo como algumas pessoas preferem o verão ao invés do inverno. Como tem gente que não gosta de café. Ou de abraços, ambos bem quentinhos. Não entendo como alguém pode não gostar de chocolate ou batata frita. Muito menos como é possível alguém não se divertir com festa junina. Não entendo também como tem gente que gosta de se prender às pessoas que não estão realmente ali. Ou que nunca se decidem, não te liberam, mas não te agarram. Não entendo como tem gente que é ótimo em matemática. Ou como as pessoas nascem em corpos que não identificam como seu.

Mas o que eu não entendo mesmo, de verdade, é como existe gente tão ignorante quanto a coisas que não entende.

Não entendo como tem gente que é capaz de machucar de todas as formas possíveis alguém por não entender coisas banais ou nem tão assim. Não entendo como tem gente que não se esforça, nem mesmo um pouquinho, pra tentar entender. Não sei como pode ser tão difícil tal coisa, tal coisa como se colocar no lugar de outra pessoa. Olhá-la como uma pessoa. Ser gentil. Amar.

Não entendo como tem gente que cobra tudo dos outros e não dá 15% de si em troca. Gente que cobra coisas que não faz. Que engana alguém quando se trata de sentimentos.

Não entendo como tem gente tão desentendida em relação às coisas que estão na frente delas. Tão desentendidas em relação às outras pessoas. Outras realidades, histórias, amores, dificuldades.

Outras almas, corações, sentimentos, feridas e passados. Não entendo e nem quero entender gente que não se esforça para entender coisas que fazem parte do que somos, do que temos, do que vivemos.


Será que dá pra entender ou é tão complicado assim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário