15 de jun de 2015

{Tem certas coisas que eu não sei dizer.}

Queria cantar melhor para poder te encantar.

Queria que minha voz não fechasse minha garganta quando estou na frente das pessoas. Queria que você me visse.

Queria ser ela. Vocês são tão lindinhos juntos.

Queria que minha dança te falasse tudo o que eu tenho que falar. O que eu preciso falar e tá aqui engasgado. Entalado.

Mas aí minhas palavras, silenciosas e sussurradas, só servem para alardear a todos o que sinto por você.

Aí cê não me ouve, porque não falo.

Aí falo, e aí você ouve. Mas não escuta.

Não toca, porque não canto.

Aí aquela música só ecoa na minha mente e bate no meu coração e martela minha cabeça e sai pelos meus lábios e o gosto é doce, mas o sentimento é amargo.

Queria não ser eu às vezes. Talvez uns 20 segundos de coragem insana só pra te dizer que você está tão em mim, e me encanta quando canta, e me canta, e me tem. E é.

Tão você.

Nada lindo, nada perfeito. Nada chamativo, só você.

Tão adorável e com um brilho suave, mas que foi visto.

Talvez aí, um dia no futuro, quando não der certo, ou finalmente der certo, ou talvez tudo se revele um mal-entendido, e aí vou ser a sua pessoa no momento,  aí vou contando baixinho e largando minhas palavras nos guardanapos, e te tendo em mim.

E tornando esse sentimento que é o mais bonito no mais belo.

Pois nada é inútil.

E sentimento bom a gente cultiva.

Lembra da história dos pedacinhos, né?

Você já deixou um pedacinho em mim, naquela primeira música, no primeiro acorde.

Um dia te dou meu pedacinho pra levar com você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário