5 de abr de 2015

Diga algo, eu estou desistindo de você.

Leia ouvindo: 




É, eu estou desistindo.

E eu nem sou garota que desiste das coisas.

Tento até depois do fim, não desperdiço oportunidades e acredito em segundas chances.

Mas eu estou desistindo.

Não é que eu não goste.

Não é que eu ache que não vale a pena.

Só que, meu amor, aprendi que só amor não é suficiente às vezes.

Amar sozinho não rende.

Amar sem amor, machuca.

O amor não é unilateral. Não tem que ser, não pode ser.

Então, diga alguma coisa.

Eu poderia ser a única se você dissesse sim.

Eu estou me sentindo, pequena e frágil, como uma garotinha assustada.

Acho que é nisso que me transformei, numa menininha espantada.

Estou aprendendo ainda, por favor, me entende.

Só que em algum momento a gente desiste de bater em uma porta que não abre.

Até mesmo eu.

Você foi o único que eu já amei, e sim, eu estou dizendo adeus.

Diga algo, eu estou desistindo de você. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário