22 de nov de 2014

O caminho certo.





Eu estava perdida. Tão perdida que não sabia nem ao menos onde estava. Você chegou com uma lanterna e me mostrou o caminho. Me ensinou, para que eu me perdesse mais. Isso foi incrível. Você chegou aos poucos, e aos pouquinhos foi me encantando. Depois das antigas decepções, dos relacionamentos que não deram certo e das brigas com direito a coisas e corações despedaçados, você chegou a calmando a tempestade que eu havia criado. Foi a minha calmaria depois, e não antes da tempestade. Sempre foi tempestade. Quando tinha calmaria, tinham tempestades maiores. Maiores do que eu poderia suportar e enfrentar. Mesmo sendo durona, e com essa mania que querer dar murro em ponta de faca, eu não conseguia. Não consigo. A derrota me corrói, mas a decepção me destrói. Cansei de decepções. Cansei de vento fortes. cansei de ondas que quebram na minha cabeça sem me dar chance de respirar, quanto mais nadar pra longe dali.

Espero sinceramente que você consiga ser o contrário de tudo isso, e exatamente o que eu preciso.

Se você ler isso, por favor, me entenda e entenda toda a história.

E não leve minha lanterna e me deixe no escuro de novo, eu te peço.

Eu preciso da luz que você me mostra e da paz que passa.

Eu preciso de você.

Vou largar os sinais e deixar que você os decifre. Derrubar as pistas e tuas barreiras e deixar que você as junte e que elas te levem até o caminho que deves tomar.

O que leva até mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário