25 de mar de 2014

Um conto de outros tempos.

Mais uma vez, o guerreiro foi confrontado. Já o estavam chamando, provocando, o atiçando para uma luta. Xingavam sua mãe, seus amigos, ele mesmo. O ferro de sua armadura não era o melhor do Reino, e por isso, o rebaixavam. Mas não seria diferente se fosse o melhor material de todo o Reino e seus arredores, pois os mesmos seres que o rebaixavam, o ridicularizariam.
Desde que era apenas um aprendiz, o guerreiro era tratado como diferente. Mas se esforçava, e se superava. Tentava ignorar. Conseguiu até certo tempo, porém como ninguém de ferro, nem o nobre guerreiro que tinha mais coisas com o que se preocupar.

O guerreiro então foi insultado. Insultaram sua lealdade. O acusaram de trair seu amigo, ou apenas de ter a intenção.

O guerreiro, revoltado, resolveu-os chamar para a luta, e esclarecer com o amigo. Só que, nesse meio tempo, o ferreiro que estava arrumando sua espada, o ouviu dizer e anunciar a luta para um amigo, antes de o pedido ser formal. Os desafiados para a luta foram avisados antes, e tentaram remendar.

Saíram como vítimas da história. Todos do Reino sabiam que era mentira. Os tais falantes, só tinham o ferreiro como aliado.

O guerreiro era valente, mas não de ferro.

Resolveu deixar de lado, e escutar o que seu mestre sempre dizia quando ele era criança, e alguns o derrubavam, psicológica e fisicamente:

"Um verdadeiro guerreiro sabe a hora de lutar, e a hora de abaixar a sua espada e ignorar os oponentes que não são dignos de uma mera luta."

Nenhum comentário:

Postar um comentário